Conheça Algumas Brincadeiras do Tempo dos seus Pais e Avós

A tecnologia, apesar de ser uma verdadeira benção, não deixa de ser de certa forma uma prisão, isso porque, mesmo tendo consciência de que os tempos são outros e que todo cuidado é pouco para os perigos que a sociedade atual oferece, da mesma forma que tablets, celulares e computadores entretêm a garotada, também limitam a grande maioria das crianças (e até alguns adolescentes) de terem uma infância mais ativa no sentido das antigas “brincadeiras de rua”.

Muitas delas desconhecem a grande maioria delas, olhando para o rosto de seus pais e avós com total confusão sobre nomes como “passa anel”, “morto vivo”, “carrinho de rolimã” etc.

Amarelinha

Apesar de ainda estar presente em boa parte dos parques e playgrounds devidamente pintada no chão, a boa e velha amarelinha (que raramente era mesmo amarela) caiu em desuso. São pintados números de 1 a 9 no chão com o “céu” no final. Usando uma pedrinha, chinelo ou qualquer outra coisa para lançar exatamente no número em que está, a pessoa tem que ir e voltar o percurso sem errar o pulo e coletando o objeto na volta.

Quem conseguir repetir o processo até o 9 primeiro ganha a brincadeira.

Amarelinha

Bobinho

bobinho

Para os garotos (e também algumas garotas) amantes do futebol, é a brincadeira que praticamente ensina as primeiras habilidades do esporte para as crianças.

Uma criança fica no centro da roda como o “bobinho”, tentando tomar a bola dos demais que vão tocando entre si. Quem errar o passe e deixar o bobinho tomar a bola se transforma automaticamente em bobinho.

Bambolê

Bambolu00ea-Use-Camisetas

Uma brincadeira que muitas crianças da atualidade podem ouvir muito falar porém pouco tiveram contato é o bambolê. Formado por um aro circular que parece uma roda gigante, normalmente feita de plástico rígido e bem colorido, o objetivo é bem simples, manter ele girando na sua cintura o máximo de tempo sem movimentar as pernas, apenas a parte do meio do seu corpo. É inclusive uma maneira divertida de ensinar as crianças uma noção maior de equilíbrio corporal.

Telefone Sem Fio

telefone-sem-fioEm tempo que todo mundo tem celular, até mesmo os mais pequenos, o telefone sem fio foi aposentado há um bom tempo. Se bem que o nome não condiz muito com a realidade, hoje sim os telefones são sem fio, mas nos tempos de criança o divertido era fazer seu próprio telefone. Como? Dois copinhos de iogurte, um furinho no fundo de cada um e um longo barbante que saísse da sua casa até a casa do vizinho, assim era mantida a comunicação, enquanto um falava o outro ficava com o ouvido grudado no copinho, e o som se propagava mesmo há vários metros de distância.

Pular Carniça

Pular-Carniu00e7a-Use-Camisetas

Essa brincadeira é ainda mais antiga e sequer exige algum tipo de material específico, ficando cada vez mais divertida conforme maior for a quantidade de crianças.

Um determinado grupo de quatro a cinco criança se agacha pondo as mãos no joelho e forma uma espécie de fila, sendo que as pessoas que vem a seguir pulam por sobre as suas costas e, ao final da fila, se agacham para continuar o percurso. Ela só voltará a pular alguém quando a pessoa inicialmente a frente dela pular uma outra pessoa, continuando o ciclo.

Gostaram das dicas sobre essas brincadeiras extremamente nostálgicas? Que tal chamar seu pai ou avô e pedir pra eles quais as suas brincadeiras preferidas?

Comments

Comentário

Sobre o autor

Walker

Me chamo Walker, já fui uma pessoa assim como você, hoje estou meio vivo, meio morto, acredito que não tenha uma definição muito clara pra isso, antes disso tudo acontecer fui jornalista. Já gostei de batata frita e chocolate, hoje prefiro recheio de crânio. passo meu tempo vagando por aí e escrevendo algumas coisas aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você poderá usar HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>